Pol√≠tica √Āfrica do Sul

Com governo de coalizão, Ramaphosa toma posse para segundo mandato na África do Sul

O presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, reeleito para um segundo mandato, tomou posse nesta quarta-feira (19) durante uma cerimônia na sede do governo, o Union Buildings, na capital do pa√≠s, Pretória.

Por Brasil de Fato

19/06/2024 às 13:10:54 - Atualizado h√°

O presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, reeleito para um segundo mandato, tomou posse nesta quarta-feira (19) durante uma cerimônia na sede do governo, o Union Buildings, na capital do pa√≠s, Pretória. Ramaphosa, l√≠der do partido Congresso Nacional Africano (ANC), que governa a √Āfrica do Sul desde o fim do apartheid, tornou-se presidente após a ren√ļncia de Jacob Zuma em 2018, e foi reeleito em 2020.

"A formação de um governo de unidade nacional √© um momento profundamente significativo. √Č o in√≠cio de uma nova era", declarou Ramaphosa após tomar posse, perante Raymond Zondo, presidente do Tribunal Constitucional, o m√°ximo tribunal do pa√≠s.

Os deputados aprovaram a reeleição de Ramaphosa, de 71 anos, após as eleições gerais de 29 de maio, nas quais o seu partido, o ANC, venceu, mas perdeu a maioria absoluta.

O evento contou com a presença de quase 20 chefes de Estado e de Governo, que foram recebidos por m√ļsicos e dançarinos locais. Foram disparados 21 tiros de canhão e cantaram o hino nacional, enquanto helicópteros militares exibiam bandeiras nacionais no c√©u.

Apesar de ter perdido a maioria absoluta nas eleições legislativas de 29 de maio, o que gerou a necessidade de uma coalizão para formar o novo governo, o ANC continua sendo a maioria na Câmara. O partido tem 159 deputados dos 400 legisladores que o pa√≠s possui.

O principal partido da oposição, a Aliança Democr√°tica (DA), agremiação liberal que tem 87 deputados, respondeu afirmativamente ao apelo de Ramaphosa para formar um governo de unidade. O mesmo aconteceu com o nacionalista zulu Inkatha Freedom Party (IFP), que conquistou 17 cadeiras, e dois outros partidos menores.

Por outro lado, os Combatentes pela Liberdade Econômica (EFF), de esquerda radical, de Julius Malema, e o partido uMkhonto weSizwe (MK), do ex-presidente inabilitado Jacob Zuma, se aproximaram nos √ļltimos dias e prometeram "esmagar" a aliança governamental "liderada pelos brancos".

Política externa

Sob a presid√™ncia de Ramaphosa, a √Āfrica do Sul protagonizou a ação mais contundente no cen√°rio internacional contra a operação militar israelense na Faixa de Gaza. O pa√≠s acusou formalmente Israel de cometer genoc√≠dio contra o povo palestino e pediu à Corte Internacional de Justiça da ONU que ordene o fim das operações militares.

O Congresso Nacional Africano compara as pol√≠ticas de Israel em Gaza e na Cisjordânia com sua própria história sob o regime do apartheid, que impunha o dom√≠nio da minoria branca e restringia a maioria negra a guetos antes de ser finalmente extinto em 1994.

Com a adesão da Espanha na √ļltima semana, 12 pa√≠ses apoiam a ação da √Āfrica do Sul na CIJ, apresentada em dezembro de 2023.

Em março deste ano, a ministra dos Negócios Estrangeiros do pa√≠s, Naledi Pandor declarou que a √Āfrica do Sul vai prender seus cidadãos que tenham lutado pelas forças armadas israelenses na Faixa de Gaza.

*Com AFP

Comunicar erro

Coment√°rios Comunicar erro

Jornalista Luciana Pombo

© 2024 Blog da Luciana Pombo é do Grupo Ventura Comunicação & Marketing Digital
Ajude financeiramente a mantermos nosso Portal independente. Doe qualquer quantia por PIX: 42.872.330/0001-17

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Jornalista Luciana Pombo
Acompanhantes GoianiaDeusas Do Luxo