Geral G1

Curitiba permite apresentações teatrais e musicais em espaços abertos, com ocupação máxima de 60% e limite de 5 mil pessoas

Por Da Redação

22/09/2021 às 23:09:48 - Atualizado há
Novo decreto foi publicado nesta quarta-feira (22); prefeitura mantém a bandeira amarela na cidade até 6 de outubro. Curitiba permite apresentações teatrais e musicais em espaços abertos, com limite de 5 mil pessoas

Arquivo/Daniel Castellano/SMCS

A Prefeitura de Curitiba publicou nesta quarta-feira (22) um decreto com novas medidas restritivas de combate à Covid-19. Entre as determinações, está a liberação de apresentações teatrais e musicais em espaços abertos, com limite de 5 mil pessoas, desde que seja observada a capacidade de ocupação de 60% do espaço.

Conforme o documento, o público precisa estar obrigatoriamente sentado ou delimitado - o que significa que, se estiverem em pé, os grupos sociais de convivência precisarão estar separados com algum tipo de contenção e distanciamento entre eles.

O decreto também estipula para esses eventos acesso restrito de pessoas com teste negativo PCR ou de antígeno para Covid-19 realizado até 48 horas antes da data do início do evento. Além disso, o documento proíbe a comercialização e consumo no local de alimentos e bebidas alcoólicas.

A administração municipal informou que mantém a bandeira amarela na cidade até 6 de outubro.

CORONAVÍRUS NO PARANÁ: Veja as principais notícias

ACOMPANHE: Média móvel de mortes e casos no estado

VACINAÇÃO NO PARANÁ: Veja perguntas e respostas

MAPA: Veja onde se vacinar em Curitiba, no app Você na RPC

Segundo o decreto, permanece válida a regra para eventos corporativos com ocupação de até 50% do previsto para o local, com acesso restrito de pessoas com teste negativo PCR ou de antígeno para Covid-19 realizado até 48 horas antes da data do início do evento.

Além disso, também permanece a regra para a realização de eventos em casa de festas e recepções, com capacidade de ocupação de 50% do previsto para o local, desde que o número não exceda o limite de 1 mil pessoas.

Decreto libera eventos com até 5 mil pessoas em locais abertos e até 2 mil pessoas em espaços fechados no Paraná

Pandemia em Curitiba

A capital registrou 290.704 casos confirmados e 7.465 mortes pela Covid-19 desde o início da pandemia, conforme dados da prefeitura.

Nesta quarta-feira, são 5.374 casos ativos na cidade, correspondentes ao número de pessoas com potencial de transmissão do vírus.

Em Curitiba, a prefeitura informou nesta quarta-feira que a taxa de ocupação geral de leitos de UTI para pacientes com suspeita ou casos confirmados da Covid-19 é de 56%.

A ocupação dos leitos de UTI do SUS destinados aos pacientes adultos com a doença é de 57%, enquanto a taxa da UTI pediátrica é de 20%.

Segundo a prefeitura, a taxa de ocupação nas enfermarias nesta quarta-feira é de 60% em Curitiba.

Confira as principais determinações

Atividades suspensas:

estabelecimentos destinados ao entretenimento, tais como casas de shows, casas noturnas e atividades correlatas;

consumo local nas tabacarias;

consumo de bebidas alcoólicas em vias públicas, salvo em feiras livres e de artesanato;

saunas em geral, independentemente do local em que estiverem instaladas;

pistas de dança.

Atividades liberadas com restrição de capacidade de ocupação limitada a 50% do previsto para o local e protocolos sanitários:

atividades comerciais de rua não essenciais, galerias, centros comerciais e shopping centers;

atividades de prestação de serviços não essenciais, tais como escritórios em geral, salões de beleza, barbearias, atividades de estética, serviços de banho, tosa e estética de animais, floriculturas e imobiliárias;

academias de ginástica e demais espaços para práticas esportivas individuais e coletivas;

restaurantes, lanchonetes, panificadoras, padarias, confeitarias e bares;

nos restaurantes, lanchonetes e bares, deve ser observado o distanciamento mínimo de 1,5 metro entre as mesas, em todas as direções, sendo vedada a permanência de pessoas em pé em lounges, corredores, camarotes ou qualquer outro local do estabelecimento.

lojas de conveniência em postos de combustíveis;

comércio varejista de hortifrutigranjeiros, quitandas, mercearias, sacolões, distribuidoras de bebidas, peixarias, açougues, e comércio de produtos e alimentos para animais;

mercados, supermercados, hipermercados e lojas de material de construção;

feiras livres;

parques infantis e temáticos: sendo permitida apenas a utilização de equipamentos/brinquedos e espaços lúdicos com o distanciamento mínimo de um metro e meio entre os usuários, em todas as direções, realizada a assepsia após o uso por cada pessoa ou grupo de pessoas, vedado o funcionamento de piscina de bolinhas;

feiras de artesanato, cinemas, museus e circos;

mostras comerciais, feirões e feiras de varejo;

as igrejas e os templos de qualquer culto deverão observar a Resolução nº 705, de 30 de julho de 2021, da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, que regulamenta a realização das atividades religiosas de qualquer natureza;

casas de festas e de recepções, incluídas aquelas com serviços de buffet, e salões de festas em clubes sociais e condomínios: autorizado até 1 mil convidados, desde que seja observada a ocupação de 50% da capacidade de público prevista no Certificado de Licenciamento do Corpo de Bombeiros (CLCB), sendo vedada a permanência de pessoas em pé em lounges, corredores, camarotes ou qualquer outro local do estabelecimento;

eventos corporativos, de interesse profissional, técnico e/ou científico, como jornadas, seminários, simpósios, workshops, cursos, convenções, fóruns e rodadas de negócios: observada a ocupação de 50% da capacidade de público prevista no CLCB, com acesso restrito a pessoas que testaram negativo em teste RT-PCR ou Pesquisa de Antígeno para detecção do vírus Sars-Cov-2 coletado em até 48 horas antes da data do início do evento.

Atividades liberadas com restrição de capacidade de ocupação limitada a 70% do previsto para o local e protocolos sanitários:

hotéis, resorts, pousadas e hostels deverão funcionar com até 70% da capacidade de público;

teatros: sendo permitida apresentação musical ou teatral, observada a ocupação de 70% da capacidade de público prevista no Certificado de Licenciamento do Corpo de Bombeiros (CLCB), sendo vedada a permanência de pessoas em pé em lounges, corredores, camarotes ou qualquer outro local do estabelecimento.

Outras atividades liberadas com protocolos:

nos parques e praças, fica permitida a prática de atividades individuais e coletivas ao ar livre, com uso de máscaras, observado o distanciamento social;

transporte coletivo, condicionado a cumprimento de protocolo específico.

eventos esportivos com público externo: autorizado até 5 mil participantes, desde que seja observada a ocupação de 20% da capacidade de público prevista no CLCB, com acesso restrito a pessoas que testaram negativo em teste RT-PCR ou Pesquisa de Antígeno para detecção do vírus Sars-Cov-2 coletado até 48 horas antes da data do evento.

eventos de apresentação teatral ou musical em espaços abertos: autorizados até 5 mil participantes, desde que seja observada a ocupação de 60% da capacidade de público prevista no CLCB, para público exclusivamente sentado ou delimitado, com acesso restrito a pessoas que testaram negativo em teste RT-PCR ou Pesquisa de Antígeno para detecção do vírus Sars-CoV-2 coletado em até 48 horas antes da data do início do evento.

Linha do tempo das restrições:

Curitiba ficou em bandeira laranja pela primeira vez de junho a agosto de 2020. Ao longo deste período, bares, parques e clubes esportivos ficaram proibidos de funcionar. Nesse período, houve ampliação dos horários de funcionamento de shoppings e comércios de rua.

Em 18 de agosto, o decreto que determinou bandeira amarela em Curitiba liberou bares, parques e feiras livres.

Em 7 de setembro, a capital voltou para bandeira laranja, fechando bares e restringindo o funcionamento do comércio e supermercados. A medida valeu até 25 de setembro, retornando depois à bandeira amarela.

Em 27 de novembro, diante do aumento expressivo de casos e das taxas de ocupação de leitos para Covid-19, a prefeitura retornou às restrições da bandeira laranja, porém, com regras diferentes.

No dia 3 de dezembro, a prefeitura prorrogou por sete dias a bandeira laranja na cidade, e no dia 17 prorrogou novamente, mas liberando comércio, mercados e outros serviços no domingo (20).

Em 8 de janeiro deste ano, a prefeitura prorrogou por 15 dias as medidas restritivas estabelecidas na bandeira laranja e ampliou de 10 para 25 o número de pessoas permitidas em eventos, encontros e assembleias.

No dia 22 de janeiro, a prefeitura prorrogou a bandeira laranja e liberou as práticas esportivas coletivas em praças e demais bens públicos ou privados, e autorizou o funcionamento das feiras livres e de artesanato aos domingos.

Em 27 de janeiro, o município determinou o retorno da bandeira amarela, com medidas menos restritivas em relação à pandemia.

No dia 10 de fevereiro, a administração municipal prorrogou a bandeira amarela por mais sete dias, sem alterações nas determinações do decreto anterior.

Em 24 de fevereiro, com o agravamento da situação da rede de saúde, alta expressiva na ocupação de leitos de UTI para Covid-19, a prefeitura decretou o retorno à bandeira laranja.

A bandeira foi estendida em 9 de março, quando a prefeitura anunciou também mudanças no sistema de saúde, com 42 UBS passando a atender como pronto atendimento, e UPAs passando a atender internamentos por casos graves de coronavírus.

No dia 12 de março, a cidade entrou pela primeira vez na bandeira vermelha - de risco máximo de alerta. Greca destacou, em um vídeo divulgado nas redes sociais, que a população deve ficar em casa, e "só sair se for absolutamente necessário, obedecendo as autoridades sanitárias".

Em 26 de março, a prefeitura prorrogou as restrições da bandeira vermelha, mas com a liberação do atendimento do comércio de rua por delivery e drive-thru, de shoppings por delivery, além da indústria e construção civil não essenciais. Nos parques da cidade, passou a ser permitida a prática de atividades individuais ao ar livre, com uso de máscaras.

No decreto seguinte, válido de 5 a 14 de abril, a cidade retornou às medidas menos restritivas da bandeira laranja. O decreto liberou o atendimento presencial de diversos serviços, como o comércio de rua, shoppings, restaurantes, lanchonetes e salões de beleza.

A bandeira laranja foi prorrogada para o período entre 15 e 28 de abril. No decreto da prorrogação, publicado no dia 14, o município liberou o funcionamento de eventos esportivos, desde que sem público externo, e ampliou o horário de funcionamento de atividades até as 23h.

Ao final de abril, a bandeira laranja foi novamente prorrogada, com a liberação do funcionamento das atividades comerciais no domingo de Dia das Mães.

Em 12 de maio, a prefeitura prorrogou a bandeira laranja, aumentou toque de recolher e reduziu horários de atividades não essenciais.

Na semana seguinte, em 19 de maio, a administração municipal voltou a aumentar o toque de recolher em uma hora e restringiu os horários de funcionamento de atividades como shoppings e academias.

Em 25 de maio, a prefeitura prorrogou as restrições da bandeira laranja que estavam em vigor até 28 de maio.

No dia 28 de maio, Curitiba voltou para bandeira vermelha e fechou o atendimento presencial de serviços não essenciais até 9 de junho.

Em um decreto do dia 8 de junho, a cidade voltou para as medidas da bandeira laranja. A decisão reabriu atendimento presencial do comércio de rua e shoppings, e liberou restaurantes a atenderem no domingo (13), para a comemoração do Dia dos Namorados;

Em 15 de junho, as medidas da bandeira laranja foram prorrogadas até o dia 23 de junho. Porém, o decreto liberou o funcionamento aos domingos de supermercados, comércio de hortifrutigranjeiros e comércio de alimentos para animais.

No dia 22 de junho, a prefeitura prorrogou novamente a bandeira laranja, liberando feiras, museus e circos no domingo.

Uma semana depois, em 30 de junho, a bandeira laranja foi mais uma vez prorrogada, permitindo comemorações com até 50 pessoas e salões de condomínios residenciais.

Em 7 de julho, Curitiba voltou para a bandeira amarela, reabriu parques, cinemas e bares e liberou o comércio aos domingos.

As medidas restritivas da bandeira foram prorrogadas pela prefeitura até 28 de julho, após os indicativos da pandemia permanecerem inalterados;

Em 28 de julho, Curitiba manteve a bandeira amarela por mais três semanas, mas liberou o funcionamento de atividades sem restrição de horário.

No dia 18 de agosto, a capital autorizou a volta de público aos estádios e eventos esportivos com a exigência de teste negativo para a Covid-19.

Em 25 de agosto, a administração municipal alterou a regra de permanência de clientes em bares, restaurantes e lanchonetes na cidade.

No dia 1º de setembro, a prefeitura prorrogou a bandeira amarela e suspendeu o funcionamento de saunas em Curitiba.

Em 15 de setembro, o município liberou eventos em casa de festas com capacidade máxima de 50% do local, com limite de 1 mil pessoas.

Vídeos mais assistidos do g1 Paraná

Veja mais notícias do estado no g1 Paraná.
Fonte: G1
Comunicar erro
Jornalista Luciana Pombo

© 2021 Blog da Luciana Pombo é do Grupo Ventura Comunicação & Marketing Digital
Avenida Emilio Jhonson, 323 - sala 4. Centro. Almirante Tamandaré - PR. Fonte: (41) 9 9229-1359.

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Jornalista Luciana Pombo