Poemas

Arrulho e não te encontro

Por Jornalista Luciana Pombo

01/05/2022 às 14:46:56 - Atualizado há
Vejo-te em meus sonhos

Nos arrulhos de minha boca

Surgem as letras de seu nome

Do fundo de minha algo toca

O som do mar e chamo-te por codinome.


Talvez Pedro não possa me ouvir,

Nem os anjos celestiais me encontram.

Mas vê-lo ao longe me faz sorrir

E a alegria e euforia sufocantes em mim, adentram.


Arrulho, quem sabe te encontre.

Chamo-te, em meus sonhos

E nos versos sem rima

Te vejo risonho.


Um beijo queria te dar

Para um dia poder me alegrar

E ter vontade de continuar

A sonhar.

Poemas

© 2022 Blog da Luciana Pombo é do Grupo Ventura Comunicação & Marketing Digital
Avenida Emilio Jhonson, 323 - sala 4. Centro. Almirante Tamandaré - PR. Fonte: (41) 9 9229-1359.

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Poemas