Poemas

Noite Sombria

Por Jornalista Luciana Pombo

09/10/2021 às 11:42:13 - Atualizado há

Na calada da noite sombria

Sinto o frio em meu corpo

Que não para de perfurar meus ossos

Com o grito inebriado da dor.

Tento fugir, mas por onde corro

Sigo neste vazio

Que é a dor de não ter aonde ir!...

Na banheira dos poucos sonhos que tenho

Não vejo nada além do castelo derretido

Com o fim de uma jornada

Sem nada a comemorar.

Quero por fim neste dor

Mas ela só aumenta!

Tento fugir, mas por onde corro

Sigo neste vazio

Que é a dor de não ter aonde ir!...

Fonte: Luciana Pombo
Poemas

© 2022 Blog da Luciana Pombo é do Grupo Ventura Comunicação & Marketing Digital
Ajude financeiramente a mantermos nosso Portal independente. Doe qualquer quantia por PIX: [email protected] / 42.872.330/0001-17

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Poemas