07/11/2019 às 18h03min - Atualizada em 07/11/2019 às 18h03min

​Crise na política em Matinhos: aliados do prefeito entram em confusão e processos mútuos

Há quem aposte que atual prefeito não tentará a reeleição devido a tensão no grupo

Luciana Pombo
O prefeito de Matinhos, Ruy Hauer, tem dificuldades desde o início da gestão em segurar as brigas internas que têm ocorrido dentro do próprio grupo – que sustentava a administração do ex-prefeito Eduardo Dalmora. Diferente do ex-prefeito, Ruy não tem pulso firme e já viu uma série de escândalos envolvendo os vereadores e integrantes do seu grupo. O mais recente envolve o ex-diretor do hospital Nossa Senhora dos Navegantes, José Carlos Moreira (conhecido como Zangão) e o vereador Renato Polícia.

Áudios encaminhados para esta blogueira demonstram que nem mesmo internamente eles se entendem. De um lado Zangão, acusado por funcionária de ter a agredido e derrubado o celular dela no chão numa briga dentro do próprio hospital. De outro lado, Renato Polícia fazendo live ao vivo e relatando a versão da funcionária – de nome Simone. A funcionária teria registrado boletim de ocorrência na Delegacia de Matinhos contra Zangão por lesões corporais e garante ter provas.

Zangão, por sua vez, nega a agressão. Ele diz que iria demiti-la por ordem do secretário municipal de Saúde, Claudir Lourenço. Ela teria resolvido intimidá-lo e teria iniciado a gravar um vídeo no celular. Ele tentou evitar e acidentalmente – de acordo com Zangão – o celular teria caído no chão. Por conta disto, ele mesmo teria entrado com ações criminal e cível contra Renato Polícia por calúnia, injúria e difamação. Além de pedir a cassação dele na Câmara Municipal. Na defesa de Renato, o também vereador Moabe Santos Batista (conhecido como Barão) disse que a função de Renato era denunciar e diz ter conhecimento de vários problemas envolvendo o então gestor do hospital.

Após a repercussão do caso, Zangão foi exonerado. Esbravejando, ele disse que Renato Polícia teria o perseguido porque queria reconquistar a Saúde e tinha intenção de furar a fila do SUS (Sistema Único de Saúde) como fazia na época de Eduardo Dalmora. Até agora não provou a denúncia. Renato Polícia reúne os áudios para entrar também com ação contra Zangão – que trabalhou na campanha de Ruy Hauer e agora atira dizendo que sabe de muita coisa desde 2009, quando teria entrado no grupo.

Para esta blogueira, insinuou que Renato Polícia não teria sido cassado porque o Executivo não teria deixado. Se tivesse sustentado, não teria problema alguma. Mas, covardemente, apagou depois os áudios enviados via whatsapp. O que de fato é verdade ou mentira em todo esse caso é para mim também uma incógnita. O fato é que existe um racha interno dentro da Câmara Municipal e que está trazendo reflexos em toda a praia. Ruy não quer concorrer a reeleição. Desacostumado com a política entrou para um mandato tampão e foi eleito pela popularidade de Dalmora. Agora, sabe de perto o que é ser prefeito.

Em entrevista a esta blogueira, Renato Polícia disse que apenas relatou numa live uma notícia. “Eu nunca tive nada contra esse cidadão, nunca tivemos nem uma rusga, a situação se deu devido a exoneração dele. A live que fiz foi simplesmente cumprindo com o meu dever. A pessoa representou contra ele, fez exame de lesões, enfim tomou as providências cabíveis também. Ela estava com hematomas”, explicou o vereador.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual melhor governador que o Paraná teve?

33.3%
29.6%
1.5%
4.4%
3.7%
13.3%
2.2%
11.1%
0.7%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp