notícias, polícia, política

Traficante reconhece Paolicchi em fotos

O ex-secretário da Fazenda de Maringá, Luis Antônio Paolicchi, foi reconhecido ontem por fotografias pelo traficante José Maria Menezes Montalvão, preso em agosto do ano passado, em Maringá. Ele fez o reconhecimento à CPI Estadual do Narcotráfico. Em recente depoimento dado reservadamente à CPI, Montalvão teria contado que conheceu Paolicchi em viagens feitas para distribuição de drogas nas regiões Norte e Noroeste do Paraná. De acordo com as informações fornecidas à Folha, Montalvão acusa Paolicchi de facilitação do tráfico de drogas. Ele forneceria infra-estrutura para que os traficantes operassem na região, cedendo um helicóptero e um avião.

Montalvão, que foi preso portando pequena quantidade de cocaína, confessou à CPI que fazia o transporte de drogas para traficantes do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Bolívia. Ele aponta o empresário Hissan Hussein Dehaine, de Araucária, como um dos principais traficantes do País, com conexão internacional. Paolicchi não foi liberado pela Justiça Federal para comparecer ontem à CPI do Narcotráfico.

O ex-secretário teria ainda uma estreita ligação com Hussein. O empresário, que nega as ligações, alega que viu Paolicchi apenas duas vezes. Uma em outubro do ano passado e outra no dia 23 de fevereiro. O empresário teria vendido um helicóptero para Paolicchi no dia 17 de outubro de 1999. Antes disso, eles teriam conversado por telefone por duas vezes. Como pagamento, ele teria recebido US$ 100 mil e um apartamento.

As informações contraditórias seriam confrontadas numa acareação marcada para às 10 horas de ontem, no plenarinho da Assembléia Legislativa. Mas a Justiça Federal não autorizou o depoimento, alegando motivos de segurança, já que a sessão seria aberta ao pública. ‘‘Ele não ter vindo apenas piora sua situação. Aqui poderia ser um palco para defesa dele. Agora, a Justiça Federal de Maringá terá que dar uma justificativa para a sociedade’’, declarou o relator da CPI, deputado estadual Ricardo Chab (PTB).

Anteontem, os deputados chegaram a afirmar que fariam o reconhecimento de Paolicchi por fotografias e uma acareação com Montalvão e o empresário. Mas eles dispensaram os depoimentos. ‘‘Não nos acrescentaria mais nada. Sabemos a versão dos dois’’, justificou o deputado estadual Algaci Tulio (PTB), presidente da CPI. Ele ficou bastante irritado com a ausência de Paolicchi. ‘‘Quem não deve, não teme. Por que ele não quis vir?’’, questionou.

Além de suposto envolvimento com o crime organizado, Paolicchi responde na Justiça comum pelo desvio de R$ 3,1 milhões da Prefeitura de Maringá. As contas do município estão sendo avaliadas pelo Tribunal de Contas, que já detectou um rombo de R$ 36 milhões. Mas os desvios podem chegar a R$ 100 milhões. Já na Justiça Federal, ele responde a ação criminal por lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, sonegação de impostos e peculato.

Tagged , , , ,

About Luciana Pombo

Jornalista, teóloga, professora, amante do futebol, da poesia, da política, das coisas da vida! Com diversas premiações e moções parlamentares. Entre as principais premiações: Escritores da Liberdade, Top Master Estadual em Jornalismo, Fera Honorária (pela luta em prol da repressão ao uso de drogas e prevenção), Amiga da Criança, Dia do Radialista expedido pela Câmara Municipal de Curitiba, Dia da Mulher expedido pela Câmara Municipal de Curitiba, Diploma de Mérito Social.
View all posts by Luciana Pombo →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *