Tamandaré tem queda na criminalidade, mas em 2016 estava entre as dez mais violentas do Brasil

O Paraná reduziu a taxa de homicídios entre 2005 e 2015, segundo o Atlas da Violência divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Houve um pico de mortes violentas em 2009 e 2010, mas de lá para cá os índices foram se reduzindo gradativamente. Mas claro que sempre é bom lembrar que o Paraná caiu muito em termos de segurança, se comparado a gestão de Jaime Lerner – por exemplo. A polícia ficou por tempos abandonada, viaturas estavam baixadas em todo o Paraná e faltavam investimentos em armamentos, coletes, entre outros.

Uma das cidades que puxaramm o índice para cima foi Almirante Tamandaré – 10ª colocada no ranking das cidades com mais de 100 mil habitantes. Os dados, divulgados no Atlas da Violência 2018, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), apontam a cidade paranaense com taxa de 88,5 homicídios e mortes violentas com causa indeterminada (MVCI). Vale lembrar que apesar dos dados terem sido divulgados em 2018, eles são referentes a 2016 – quando houve a última atualização do Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde.

Dados atuais da Polícia Militar (PM) demonstram que a criminalidade na cidade caiu significativamente. Os crimes contra o patrimônio tiveram uma queda signicativa no mês de outubro de 2017 com relação ao mesmo período do ano anterior: 82,8%. Com relação aos furtos, a queda também foi signicativa no mesmo período: 67,5%.

Homicídios – Um dos índices mais importantes é com relação aos homicídios. O mês de abril de 2017, por exemplo, teve redução no número de homicídios com relação ao mesmo período do ano anterior de 57,14%. Em junho, a redução nos homicídios foi de 63,64%. De acordo com o comandante da 2ª companhia da Polícia Militar, capitão Luciano Cordeiro, a redução foi de 82 homicídios dolosos (que foram executados com a intenção de matar) em 2016 para 42 em 2017.

Um dos motivos foi a luta por mais viaturas e policiais militares do prefeito Gerson Colodel junto ao governo do Estado. Foram recebidas viaturas para a Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros; foi criada a Secretaria Municipal de Segurança Pública e Cidadania; foi reestruturado o Núcleo de Proteção e Vigilância Municipal (NPVM); foi incentivada  criação do Conselho Municipal de Segurança Pública (Conseg). “Estamos trabalhando fortemente a questão social e fazendo ações em bares para retirar os menores de idade desses locais”, contou a secretária Jocélia Fonseca, da Segurança Pública e Cidadania. As ações são conjuntas entre as forças policiais, Vigilância Sanitária, NPVM, Conselho Tutelar.

Câmeras – A prefeitura prepara ainda a instalação de 36 câmeras de segurança na cidade, com o apoio do governo estadual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *