Saúde II

No dia 13 de abril, o pintor de automóveis Maurício Satiro Vieira, de 39 anos, conhecido como “Camarão”, teve um acidente de trabalho com o disco flexível de uma lixadeira. Ele foi até a unidade de saúde e foi informado que não havia médico.

“Eu tenho testemunhas. Disseram que não podiam fazer nada porque não tinham médico e pediram para eu ir para Praia de Leste. Não tinham uma ambulância, nada. Estava varado de sangue. O atendimento foi precário, péssimo”, contou ele.

Depois de fazerem um curativo em Praia de Leste, ele teve que voltar para Ipanema para tomar a vacina antitetânica, mas não tinha quem aplicasse. Teve que esperar alguém chegar. Depois de tomar a vacina, o ferimento voltou a sangrar e ele foi até o posto de saúde para conseguir um esparadrapo e gaze. Mas não conseguiu.

“Lá eles me disseram que não tinham esse tipo de produto e que se eu quisesse eu teria que comprar. Por que então não fecham o posto de saúde e abrem um cemitério? “, questionou Camarão.

O corte, segundo o pintor, é pequeno. No entanto, profundo.

2 thoughts on “Saúde II

  1. Oi eu gostaria de sabe se voçe tem noticias do caso 13 de abril de 2011 do mauricio satiro vieira porqueele é meu tio e ja faz mais de 16 anos que minha mae proucura por ele e essa foi a unica noticia que recebemos dele

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *