Quase 30 milhões de brasileiros não votaram nestas eleições; abstenção é a maior desde 2012

A crise política, escândalos de corrupção e serviços públicos ineficientes podem explicar a elevada taxa de 20,32% de abstenção na eleição de ontem (07). O índice de abstenção, que é o maior índice desde 2002, também revela que esta parcela da população está desacreditada e sem esperança com a classe política. Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 29.719.056 pessoas não compareceram às seções eleitorais.

O volume total de abstenções é apenas menor que o número de votos obtidos por Jair Bolsonaro (PSL), 49,1 milhões; e por Fernando Haddad (PT), 30,9 milhões. O número de votos em branco na eleição presidencial chegou a 3.095.689 (2,65%) e o número de votos nulos a 7.161.245 (6,14%). Somando abstenções, brancos e nulos o total é de mais 39,9 milhões de pessoas que preferiram não votar ou não escolher um candidato à presidência da República.

O Mato Grosso (MT) foi o estado com maior proporção de eleitores que não compareceram para votar, 24,55% (ou 571.841 pessoas). Roraima teve a menor taxa de abstenção: 13,86% (45.120 pessoas). Em termos absolutos, São Paulo teve o maior volume de eleitores que não compareceram à votação: 7.108.863 de pessoas.

Nota da Blogueira: Pior do que a tristeza de não votar, é a decepção de engolir um péssimo administrador. Portanto, meu pedido pessoal é que todos façam sua parte e façam da urna eleitoral sua esperança de um futuro melhor para as maiorias e para as minorias, sem exceção e sem violência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *