Preso investigado por corrupção, Beto Richa fica calado em depoimento ao Gaeco

Os ternos de alta costura do ex-governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), e os vestidos elegantes da ex-primeira-dama e ex-secretária do Estado, Fernanda Richa, deram lugar a jaquetas e capuzes. Pelo menos, foi assim que o casal preso desde terça-feira (11) prestou depoimento aos promotores sobre o programa Patrulha do Campo, alvo de investigação do Ministério Público do Paraná, na manhã desta sexta-feira (14) na sede do Gaeco, no bairro Ahú, em Curitiba.

O candidato ao Senado Beto Richa saiu da sala de depoimentos acompanhado de quatro advogados e sem falar nada. Foram menos de 20 minutos de depoimento em que o ex-governador permaneceu em silêncio. Isso mesmo, calado! Beto Richa é acusadode chefiar uma quadrilha, que supostamente fraudava licitações e lavava dinheiro.

A esposa dele, Fernanda Richa, depôs em seguida. Acompanhada de dois advogados, ela ficou das 12h40 às 13h30 na sala de depoimento. Os advogados da Fernanda saíram do Gaeco sem dar detalhes sobre o depoimento. Depois, os dois foram vistos saindo escondidos dentro do carro e evitando fotografias como se fossem marginais fugindo da foto e dos holofotes da imprensa. No entanto, não conseguiram fugir do clique do fotógrafo Alexandre Mazzo, da Gazeta do Povo (reprodução).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *