Notas frias

Quatro pessoas foram presas hoje acusadas de participação num esquema de venda de notas fiscais frias para distribuidoras e usinas de álcool combustível com o intuito de sonegar impostos no Paraná e em Santa Catarina. Os presos são ligados à empresa Sercom, com sede em Londrina (PR) e filiais em Araucária (PR) e Florianópolis (SC). A Receita Estadual estima que a Sercom tenha sonegado pelo menos R$ 15 milhões em impostos.

Os quatro presos são acusados de usar a empresa de fachada. Também foram apreendidos vários computadores, documentos e dois veículos importados. O delegado Marcus Vinícius Michelotto, que comandou as investigações, contou que foi auxiliado pelo Comitê Sul-Brasileiro de Qualidade de Combustíveis na segunda etapa da Operação Medusa que, em março deste ano, prendeu quinze pessoas.

Ao todo foram expedidos 12 mandados de prisão. Entre os presos está Antonio Sérgio Testa, de 45 anos, apontado como líder da quadrilha. Outros empresários também foram detidos. A polícia ainda está a procura do último suposto integrante da quadrilha, Paulo Roberto Testa. Todos os presos serão autuados por formação de quadrilha, crimes contra o consumidor, estelionato e corrupção e ficarão detidos na Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *