Facebook e Twitter removem perfis acusados de participar de campanhas

Milhões de perfis acusados de participar em campanhas políticas promovidas por países como Irã, Rússia e Venezuela foram removidos pelo Facebook e pelo Twitter. O objetivo é cortar o uso inadequado das redes sociais. No Brasil, essas campanhas foram usados para influenciar opiniões nas redes sociais, incluindo as discussões em torno das eleições.

As exclusões foram coordenadas e usaram informações compartilhadas pelas duas empresas. A ação do Facebook se concentrou em conteúdo propagado pelo Irã. Foram deletadas 783 páginas, grupos e contas usadas para enganar usuários — dentre elas, havia 162 perfis no Instagram. Algumas delas estavam ativas desde 2010. Elas atuavam em 26 países da Europa, Oriente Médio, Ásia e África. Elas eram bastante populares e atraíam muita gente — tinha conta com mais de 2 milhões de seguidores de página no Facebook e outras com mais de 250 mil no Instagram.

Segundo o Facebook, essas contas gastaram menos de US$ 30 mil em publicidade em suas plataformas. A rede social informa que as informações levantadas a respeito desses perfis foram reportadas a autoridades policiais.

Nota da Blogueira: Senti a diferença principalmente em grupos de debate de Facebook que tinham mais de 15 mil pessoas e caíram para 3 mil porque muitas foram excluídas do Facebook. A retirada de perfis que não podem ser rastreados no Brasil é fundamental para evitarmos as chamadas FAKE NEWS – tão comuns na eleição que levou Jair Bolsonaro à presidência da República.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *