Estado de greve: policiais querem atuar na investigação!

Policiais civis do Paraná aprovam estado de greve e se recusam a cuidar de presos – função que tem sido desempenhada irregularmente pelos investigadores de polícia. Desde ontem, os policiais garantem que irão se dedicar única e exclusivamente às atribuições previstas na lei, deixando de executar atividades ilegais como cuidar dos 9 mil presos que irregularmente ocupam as delegacias, supervisionar e coordenar visitas de familiares, fazer escolta de detentos e demais atendimentos carcerários.

A briga é antiga. Com a sobrecarga de trabalho gerada pela presença de presos nas delegacias, as funções que deveriam ser cumpridas pelos investigadores, escrivães e demais policiais acabam ficando em segundo plano.

A partir de segunda-feira (25), cinco equipes de policiais do Sindicato da Polícia Civil (Sindipol) irão percorrer o interior do estado fiscalizando e orientando os profissionais. Manifestações também estão previstas para a semana que vem. Atualmente, o Paraná conta com aproximadamente 7 mil policiais civis, entre ativos e inativos. (Com informações de O Bonde)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *