crônicas

Escolhas…

Sempre que temos que tomar decisões em nossas vidas, escolhemos o errado.
Não sei se isso acontece com todos. Mas comigo, sempre ocorreu. Gostava sempre dos times que perdiam. Escolhi sempre os amigos rejeitados pelo grupo. Protegia pessoas que tinham dificuldades de convivência…

… sempre tive a estranha adoração pelo excluído. É como se eu me identificasse com eles. Lembro na infância quando fui encontrada, a pedido de meu padrasto, pelos meus irmãos comendo feijão dentro de um casebre numa favela da Vila São Jorge…

Era de família tradicional. A revelação de que gostava de estar com a família de minha amiga Jane (lembro bem do nome dela, apesar do tempo passado) soava como uma bomba para meus pais…

Na adolescência, passava horas lendo para meu amigo Antônio. E foi um dos meus melhores amigos até hoje. Estávamos ligados mutuamente. Fazíamos tudo juntos. Era criticada. Nunca entendi porque o fato dele ter uma deficiência visual o fazia menos leal ou amigo do que os outros…

Em vez de optar por drogas, sexo, álcool, escolhi a religiosidade. O que também incomodou. Tinha horários para estar em casa. Todos rigorosos. E ameaças de que se não chegasse até determinado horário, teria de dormir do lado de fora. Não estava em baile. Não saía com amigos inconvenientes. Queria ir a Igreja, fazer parte do coral, ser líder de jovens…

Passei no vestibular. As escolhas eram diversas. Passei em tudo o que quis no vestibular. Cinco diferentes cursos. Do direito, passando por medicina e chegando ao jornalismo. Escolhi ser jornalista. Minha mãe dizia que eu tinha nascido para ser pobre…

Já adulta (nem tanto!), comecei a namorar três homens de diferentes estilos. Mais ou menos ao mesmo tempo. Namorar para mim tem conceito distinto. Não tem sexo. Só amizade, mesclada com beijos. Eles eram completamente opostos. Escolhi e casei com o pior.

Enfim, passamos a vida toda fazendo escolhas equivocadas. Hoje, decidi parar de escolher. Quero ser escolhida. Seja profissionalmente, sentimentalmente e todos os outros ‘mentes’ que pudermos imaginar…

… não vou por ponto. Não darei final a nada. Vou deixar acontecer, para não correr o risco de mal escolher…

About Luciana Pombo

Jornalista, teóloga, professora, amante do futebol, da poesia, da política, das coisas da vida! Com diversas premiações e moções parlamentares. Entre as principais premiações: Escritores da Liberdade, Top Master Estadual em Jornalismo, Fera Honorária (pela luta em prol da repressão ao uso de drogas e prevenção), Amiga da Criança, Dia do Radialista expedido pela Câmara Municipal de Curitiba, Dia da Mulher expedido pela Câmara Municipal de Curitiba, Diploma de Mérito Social.
View all posts by Luciana Pombo →

0 thoughts on “Escolhas…

  1. Voce continua a mesma Luciana que conheci, “VOANDO” com os pés bem plantados no chao, mas, concordo plenamente contigo, as escolhas que fazemos sempre sao as mais dificeis, mas, servem de base para novas decisoes. lembre-se que “O BOM É QUE TUDO EM NOSSA VIDA DURA O TEMPO SUFICIENTE PRA SER INESQUECIVEL….”AbraçaoNelson

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *