Dilma vai processar presidente da República

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) vai processar cível e criminalmente o presidente Jair Bolsonaro (PL). O motivo é uma declaração dele em viagem a Dallas, nos Estados Unidos. Na entrega do prêmio personalidade do ano da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, Bolsonaro afirmou que “quem até há pouco ocupava o governo teve em sua história suas mãos manchadas de sangue na luta armada”. Em nota divulgada, Dilma rebateu o presidente: “Declaração mentirosa e caluniosa sobre minha história política”.

Entre 1967 e 1972, Dilma militou em duas organizações contra a ditadura em São Paulo, no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul. No entanto, não existem registros reais de que ela tenha participado de algum atentado armada. Já os militares, no regime ditatorial, mataram inocentes e revolucionários por simples divergência de ideologia. O sangue de famílias inocentes até hoje é lembrado pela Anistia Internacional. A ex-presidente disse na nota que não participou “de atos armados ou ações que tivessem ou pudessem levar à morte de quem quer que seja”.

“Ao contrário dos heróis e homenageados pelo senhor Bolsonaro que, durante a ditadura e depois dela, tiveram  suas mãos manchadas do nosso sangue – militantes brasileiros e brasileiras – pelas torturas e assassinatos cometidos contra nós”, comentou Dilma. “Minhas mãos estão limpas e foram fortalecidas, ao longo da vida, pela militância a favor da democracia, da justiça social e da soberania nacional. Foi esta luta que me levou à Presidência da República, cargo que honrei representando dignamente meu País, sem me curvar a qualquer potência estrangeira, respeitando todas as nações, das mais empobrecidas à mais ricas”.

Nota da Blogueira: Há que se lembrar que Dilma foi afastada do cargo por um golpe político de extrema direita, sem ter cometido qualquer crime. O motivo foi pedalas fiscais. Aliás, algo que o povo nem sabe o que é. Mas foi manipulado pela mídia para aceitar e para iniciar uma luta sem precedentes por partido político – do qual jamais fui militante, mas encaro a guerra como medíocre e sem fundamentos. O Brasil só perdeu com a saída de Dilma. Perdeu a dignidade e foi lançado para a cova com os leões de Michel Temer (MDB) e de Jair Bolsonaro – famintos pelo Poder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *