Deputado sofre revés da imprensa

O deputado estadual Ricardo Arruda (PSL), que essa semana se tornou persona non grata para os professores ao criticar duramente a greve, acaba de sofrer um revés da imprensa paranaense. O site Gazeta do Povo apresentou documentos que demonstram que o parlamentar teria declarado proprietário de 11 imóveis para a Justiça Eleitoral em 2014. No entanto, estaria usando dinheiro da Assembleia Legislativa para alugar um imóvel para moradia em Curitiba. Em três anos, esse gasto já consumiu R$ 61,8 mil da verba de gabinete do parlamentar.

Pela declaração de bens de 2014, os imóveis do parlamentar – a maioria deles na cidade de São Paulo e nenhum em Curitiba – valem cerca de R$ 2,8 milhões. No ano passado, Ricardo Arruda – que é missionário de igreja evangélica – utilizou recursos para esse fim apenas nos meses de outubro, R$ 7,1 mil, e dezembro, R$ 7,4 mil. Deste total, cerca de R$ 6 mil foram para pagamento de aluguel e o restante para taxas em um condomínio de casas no bairro Pilarzinho.

Base eleitoral – Mesmo não tendo imóvel no nome dele, o deputado não poderia estar pagando aluguel. Isto porque ele diz à Justiça Eleitoral que tem residência fixa na cidade e a base eleitoral dele também é na capital – o que contraria o que está previsto no ato 1.873/2013 da Assembleia, que regulamenta o ressarcimento das despesas com aluguel de residências para os deputados. E agora, deputado?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *