Ciro Gomes é recebido por centenas de pessoas no Paraná

Foi uma breve passagem. No entanto, o candidato a presidente do Brasil Ciro Gomes (PDT) conseguiu provar a força que tem no Paraná. Centenas de pessoas foram às ruas logo cedo, na Rua XV de Novembro. Elas fizeram uma caminhada com o candidato da Praça Santos Andrade até a Boca Maldita. Em seguida, Ciro Gomes fez um debate com sindicalistas do Sindicato dos Metalúrgicos de Curitiba e Região Metropolitana e ganhou formalmente o apoio de lideranças da Força Sindical.

 

 

 

 

 

 

“Não desistam do Brasil”, disse Ciro Gomes, no discurso aos sindicalistas. O presidenciável falou principalmente sobre a situação econômica e os entraves que impedem o crescimento do Brasil. Entre as propostas, uma que chama a atenção dos eleitores, está relacionada ao endividamento que atinge 63 milhões de brasileiros. Ciro Gomes tem um projeto para zerar débitos de pessoas que estão com o nome no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). “Vamos baixar esse juro imoral de 400% para 12%”, completou.

Ele também falou sobra a industrialização do Brasil. “Não faz sentido o Brasil importar óleo diesel do estrangeiro deixando 40% da nossa capacidade de refino brasileiro ociosos, gerando emprego nos Estados Unidos com o dinheiro do povo brasileiro”, afirmou o candidato. “Nós estamos importando do estrangeiro fertilizantes, defensivos agrícolas, agrotóxicos e implementos. Só este ano nós vamos trazer, do estrangeiro, US$ 17 bilhões com o dinheiro de impostos do brasileiro, financiando emprego nos Estados Unidos, na Europa e na China”, enumerou Ciro.

O candidato também aproveitou a agenda no Paraná para afirmar que o “primeiro motor” para a reativação da economia é aumentar o consumo das famílias. “Esse motor responde por quase metade das energias que ativam a economia. Ninguém precisa ser economista para entender que, se as famílias consomem, o comércio vende. Se o comércio vende, a indústria produz. Se a indústria produz, ela paga imposto. Se ela paga imposto, a política pública tem onde botar o dinheiro. E a economia é ativada e tudo se resolve. Este é o primeiro motor, e os empregos, obviamente, aparecem”, exemplificou.

Depois, ao lado de lideranças como Nelton Friedrich (PDT, candidato ao Senado), Roberto Requião (MDB, candidato à reeleição ao Senado), Carlos Lupi (presidente nacional do PDT) e André Menegotto (presidente estadual do PDT), além de candidatos a deputado, ele foi visitar o Museu da Vida, ligado à Pastoral da Criança. Ele conheceu o espaço – voltado a sustentabilidade e preservação ambiental.

No final do dia, ele foi a Londrina. Lá, participou de debate com representantes do Sindicato dos Eletricitários (SINDEL).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *