Beto Richa tentou obstruir a Justiça, segundo ação

O ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB), a ex-primeira-dama Fernanda Richa e mais cinco pessoas, se tornaram réus em uma denúncia por obstrução de justiça e organização criminosa. As investigações surgiram na Operação Quadro Negro, que apura desvio de dinheiro destinado a obras de escolas no segundo mandato de Beto, mais precisamente entre 2011 e 2014.

A denúncia foi acolhida pelo juiz Fernando Bardelli Silva Fischer, da 9ª Vara Criminal de Curitiba. Para os que ainda não sabem, esse é o sexto processo diferente que Beto Richa responde na área penal. Além do casal, também respondem pelo crime de obstrução de justiça e organização criminosa: o empresário Jorge Atherino (amigo próximo de Beto Richa), o ex-procurador-geral Sérgio Botto de Lacerda, o ex-diretor da Secretaria da Educação Maurício Fanini, João Gilberto Cominese Freire e Rafael de Sarandy Wawryniuk (ligados ao empresário amigo de Beto).

O juiz diz no acolhimento que os elementos apresentados têm lastro probatório da materialidade e de indícios suficientes de autoria dos delitos. Beto Richa está preso desde 19 de março, no Complexo Médico Penal, em Pinhais (Região Metropolitana de Curitiba).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *