notícias, política

Aproximação de Requião e Cida gera revolta dentro do MDB

Nada confirmado ainda. No entanto, a aproximação ventilada em redes sociais entre o senador Roberto Requião (MDB) e a governadora Cida Borghetti (PP) deixou os militantes antigos do partido de Requião revoltados. Alguns esperavam que ele mesmo lançasse sua candidatura ao governo do Estado, outros achavam que ele faria um acordo branco e disputaria o Senado sem cabeça de chapa, a maioria já estava embrenhada na campanha de Osmar Dias (PDT). Mas ninguém, absolutamente ninguém esperava a aproximação entre o senador e a governadora. Claro, tudo devidamente orquestrado pelo gênio da política paranaense, sucessor de Anibal Khury, o deputado federal Ricardo Barros (PP).

O motivo do desespero requianista não é apenas as críticas feitas pelos aliados ao comportamento da atual governadora, como podemos observar nas redes sociais e no próprio site oficial do deputado estadual Requião Filho. Vai além. Desde o início da primeira gestão do ex-governador Beto Richa (PSDB), a família Requião tem sido a verdadeira oposição do Paraná, com uma série de denúncias e movimentos sociais. O tucano foi criticado de todas as formas, foi denunciado no Ministério Público (MP) estadual e federal e era sempre a bola da vez do senador, do sobrinho João Arruda (deputado federal) e do filho (deputado estadual).

Como se não bastasse, Requião já disse que Ricardo Barros, marido da governadora e articuladora da candidatura dela ao governo do Estado, era o abominável articulador pró Michel Temer e Beto Richa. Fazia críticas duras ao próprio presidente – que faz parte do MDB e que chegou a nomear Barros como ministro da Saúde (cargo que ele abriu mão para se recandidatar a deputado federal).

O que ainda faltaria para que a aliança se consolidasse. Nos bastidores comenta-se que Requião quer a cabeça de todos os tucanos que estão no seu governo. Isso forçaria Beto Richa a dar apoio a Ratinho Junior para o governo do Estado. E o sonho de Cida se aproximar do segundo turno poderia ficar ainda mais difícil. Ainda na semana passada, ela esteve ao lado de Beto em reuniões com prefeitos no Restaurante Madalosso. Seria possível realmente ela deixar o ex-governador para fora do ninho?

O mais certo é que tenha sido tudo um jogo de cena para formar Osmar Dias a definir uma aliança com o MDB – já que setores não querem uma aproximação com o ex-governador, defensor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Se Cida quer, por que Osmar não iria querer? Perguntam os próprios emedebistas. Pelo sim, pelo não, o cenário ainda é muito nebuloso e tudo pode acontecer…

… a única certeza é que este é um mês de definições. Sejam quais forem, elas serão colocadas, com todas as cartas, na mesa. As eleições no Paraná estão abertas. Façamos as apostas…

Tagged , , , , , , ,

About Luciana Pombo

Jornalista, teóloga, professora, amante do futebol, da poesia, da política, das coisas da vida! Com diversas premiações e moções parlamentares. Entre as principais premiações: Escritores da Liberdade, Top Master Estadual em Jornalismo, Fera Honorária (pela luta em prol da repressão ao uso de drogas e prevenção), Amiga da Criança, Dia do Radialista expedido pela Câmara Municipal de Curitiba, Dia da Mulher expedido pela Câmara Municipal de Curitiba, Diploma de Mérito Social.
View all posts by Luciana Pombo →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *