Absurdo! Jornalista repassa dinheiro de campanha para o próprio marido

A jornalista Elisângela Machado dos Santos Freitas, está na mira do Ministério Público (MP) eleitoral. Ela foi candidata a deputada federal (PRP) no Distrito Federal no ano passado e teve 11.638 votos. No entanto, 59% dos recursos recebidos por ela do Fundo Partidário foi parar na conta do marido Ronaldo Robson de Freitas.

Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que ela recebeu um valor total de R$ 25 mil do fundo eleitoral e teria gasto R$ 14,9 mil com o marido. Deste total, R$ 10 mil seriam para “serviços de coordenação de campanha eleitoral”, R$ 4 mil para “locação de equipamento para gravação de vídeo” e R$ 900 para “serviço de divulgação de campanha”.

Curiosamente, a jornalista é a administradora da página REPÚBLICA DE CURITIBA – simpática ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). Aliás, a página tem – há muito tempo – comemorado a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e pedido o fim da corrupção. Mas a transferência dos recursos públicos não seriam uma forma de corrupção?

Para piorar ainda mais, no mês passado, ela foi nomeada pelo filho mais velho do presidente, o deputado federal Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), para trabalhar como auxiliar parlamentar no gabinete dele no Senado, cargo cujo salário inicial é de R$ 5,2 mil. Em nota oficial na sua página do facebook, Elisa Robson, como é conhecida no meio político, diz que o marido de fato “gerenciou todo o trabalho que foi feito de comunicação nas redes sociais”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *